No balouçar do vento, de Antom Laia

Novamente damos paso aos envíos de clientes e leitor@s. Desta volta, a recomendación é de Ramiro. Se queres, podes enviarnos o que che consideres interesante para publicar aquí ao noso correo: libreriasisargas@gmail.com.

No balouçar do vento, de Antom Laia, é o primeiro livro de poemas deste autor melidao, publicado por ele mesmo junto às ilustrações de Xosé Tomás.
Chama poderosamente a atenção o diálogo plástico-literário poeta e ilustrador, junto a uma intensidade do dizer poético que reúne os vários caminhos de um tema principal: o amor, tratado desde dentro, com a força visceral de um incêndio permanente na palavra transmutada em catalisador de vida e conhecimento.
Este rio atravessa o poemário inteiro, acolhendo barcos cinzentos habitados por uma melancolia próxima das viagens no interior do tempo, mas destacando sempre a pulsão erótica que torna o livro em abraço exaltado da natureza e os corpos, na concepção libertadora que o amor como estrutura fundamental da consciência humana e universal deixou no fundo do poeta, comunicado em formas clássicas (sonetos, sobretudo), postas a disposição da sua fulcral necessidade de expressão.
Saudamos, pois, a chegada de Antom Laia à edição do seu trabalho, e desejamos que prossiga as suas andanças neste território em ebulição que vem sendo a escrita poética.
E, se mo permitem, vai este poema meu feito em diálogo com esta obra (não todo vai ser prosa neste comentário):

Para Antom e Teresa.

Os amantes percorrem
o denso interior da luz,
copulam na vertigem
líquida do tempo estourado,
atravessam o mundo com
a sua vidência vermelha,
atraindo para si o furor de
toda a criação descoberta
nos seus corpos candentes,
plenos de uma exaltação
maravilhada, convertida
a sua morada em ardora
afluída desde o grito infinito
sobre a espuma derramada
como um incêndio branco no
coito entre as palavras e o sol.

Junho de 2013.”

Presentación do libro Depor Vida. Crónica da tempada 2012/2013

Depor Vida é a crónica da tempada 2012/2013 do Deportivo da Coruña, feita polos xornalistas Rosabel Candal e Xerardo Porto. No acto, que terá lugar o mércores 3 de xullo, ás 20:00 horas, na Biblioteca da Asociación de Veciños Atochas-Monte Alto (Campo de Marte-Rúa da Torre), participan, xunto aos autores, Henrique Sanfiz e o adestrador do Depor, Fernando Vázquez.

Este é un petisco do libro:
“E o mellor de todo: foi quen de devolver a ilusión a todo o mundo: aos futbolistas, ao club, aos afeccionados, á cidade… O deportivismo renaceu. Os seareiros asumiron o discurso de Vázquez e fixeron seu o lema “pódese”. Claro que só faltaba o máis complicado: despois de tres vitorias en 23 partidos, había que gañar sete ou oito (eran as contas do míster) en quince. Todo un reto, que se volveu máis complicado aínda tras catro xornadas sen acadar o triunfo: sete/oito vitorias en once partidos.”